• Júlia Scartezini

Prazo da usucapião entre cônjuges pode ser contado a partir da separação de fato



Para a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, a separação de fato do casal é suficiente para cessar o impedimento quanto ao curso do prazo exigido para a usucapião entre cônjuges.


Para a Ministra Relatora, a prescrição aquisitiva, relativa ao modo de aquisição da propriedade pela usucapião, prevalece apenas enquanto houver a constância da sociedade conjugal, que cessa com a separação judicial ou pelo divórcio.


Contudo, a Relatora, acompanhada dos demais Ministros, destacou que a previsão do art. 197, I, do Código Civil é fundada em razões da ordem moral e da estabilidade do vínculo. Desse modo, a separação de fato por vasto período produz idêntico efeito das formas tipificadas pelo Código Civil para o término da sociedade conjugal.


Portanto, foi destacado o cumprimento do prazo necessário para a usucapião especial urbana, o qual foi contado a partir da separação de fato entre os cônjuges.


Processo ref.: REsp 1693732/MG

  • email icone
  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Spotify
  • Campanha Livres e iguais
  • HeForShe
Entre em contato

Email: contato@maltaadvogados.com
Tel:  +55 (61) 3033-6600 | 3033-6686

Passe o mouse

NEWSLETTER